Processo Artesanal

A história da cachaça é quase tão antiga quanto a história do Brasil. E, como seu país de origem, é cercada de contos e folclore, com inúmeras versões e teorias. Uma delas, conta que a bebida surgiu em Pernambuco, quando um escravo armazenou a “cachaça” da cana. A fermentação de líquido aconteceu naturalmente e, conforme ele evaporava, formava pingos de cachaça no teto do engenho. E daí teria surgido o popular apelido do destilado brasileiro, a pinga.
Desde então, a cachaça mudou muito. Se a bebida, que foi nobre até meados do século passado, virou, a partir de então, sinônimo de camadas mais populares da população, ela gradativamente vem reconquistando todo o país e hoje é presença garantida nos restaurantes mais conceituados. E não foi só sua participação no mercado que mudou. O processo de produção da cachaça também passou por diversas alterações.

Uma delas foi a sua industrialização, fenômeno que ganhou grande importância a partir de 1960. Embora o método tenha garantido (e ainda garanta) maior quantidade na produção da bebida, características saborosas e típicas da imprevisibilidade da produção artesanal acabam se perdendo. A cachaça artesanal faz possível que cada gota carregue um pouco do seu engenho, do sabor da região e o toque pessoal do alambiqueiro. E a Natique Osborne, ciente disso, valorizando a história da verdadeira cachaça, valoriza a história de cada uma de suas cachaças e entende o quão fundamental é que o trabalho de qualidade tenha respaldo proporcional em valor econômico.

Na produção artesanal de qualidade, levada por gente séria, tudo é feito da mesma forma/com o mesmo cuidado há centenas de anos. O que mudou foram as possibilidades mais modernas de controle de qualidade da bebida. O resultado você pode sentirem cada gole, carregado de sabores e das pequenas particularidades de cada rótulo. A cachaça artesanal de qualidade não é só uma tradição a ser admirada. É a certeza de que o produto que você está consumindo respeita a natureza e a qualidade/origem da matéria prima, não usa nenhum processo de fermentação artificial e apenas aproveita, com muito rigor, a parte mais nobre do destilado que será servido no seu copo.